DETALHES

Título: Meandros invisíveis
Data: 2008
Técnica: Fotografia, série de 24 imagens impressas em lona (três dessas imagens foram impressas por jato de tinta em papel fosco)
Dimensões físicas: 220×73 cm ( lona ), 50×50 cm ( papel )

DESCRIÇÃO

Meandros Invisíveis foi um trabalho que surgiu de uma proposta do SESC Itaquera de ocupar duas áreas descobertas que ficam ao lado da entrada do prédio principal. 

Três questões foram levadas em conta para chegar a essa proposta: o fato dessa unidade do SESC ser voltada para os esportes; ser uma área de passagem; e discutir um assunto do interesse de pessoas que estão ali para outro propósito que não o da experiência “artística”. Na mesma época, o córrego Aricanduva, que corre ao lado do SESC, estava sendo canalisado. Essa situação foi o começo do projeto. A cidade de São Paulo cresceu, até certo ponto, seguindo o desenho dos inúmeros rios e córregos que existiam pela região. Pouco a pouco esses cursos de água foram sendo modificados em prol da modernidade e em seguida esquecidos. Lugares que tiveram o leito retificado ou soterrado foram fotografados e legendados com o nome do rio ou córrego (e não com o nome da rua ou avenida existente sobre eles). 

Foram apresentados em 24 banners pendurados em sequência na entrada do SESC Itaquera. Posteriormente o curador Paulo Miyada selecionou 3 fotografias para a exposição “ Todo Mundo sabe ( que as nossas cidades e corpos foram feitos para ser destruídos )”, realizada na Galeria Monica Filgueiras em 2013.

CONTATO

Para mais informações, deixe o seu contato.